DÉJÀ-VU Shithole

460.00 230.00

5 em stock

Descrição

Quem olhar para o conjunto destes desenhos publicados nos últimos anos no Diário de Notícias, poderá cair na tentação de pensar que vivemos tempos atribulados. Cabe aos políticos, e aos cidadãos que os elegem, agir no presente para definir um qualquer futuro, enquanto os escritores, músicos, artistas, ilustradores e cartunistas vestem inevitavelmente a pele de testemunhas. Faz parte da condição de artista não ter tantas certezas como os que se movem nos círculos de poder.

Esta nossa maneira de ver o mundo é confortável: não nos pedem respostas, mas insistimos em tentar identificar todos os problemas. Refugiado no seu atelier, com o ouvido encostado a tudo o que lhe permita entrever o mundo lá fora, seja janela, ecrã ou papel de jornal, o cartunista tenta ser um profissional da dúvida. O seu pessimismo em relação ao absurdo da natureza humana e a qualquer melhoria significativa no rumo geral da humanidade, só é igualado pelo optimismo ingénuo de que um desenho poderá um dia, talvez, mudar o mundo. Mas as contradições do humor não se esgotam aí. Se se considerar que a fé é o oposto da dúvida, é precisamente o cartunista, treinado a desconfiar da realidade que lhe apresentam, aquele que mais acredita na universalidade absoluta de conceitos como a liberdade de expressão, igualdade, fraternidade, democracia. Mesmo que muito do que vê e conhece lhe dê provas do contrário.

Os trabalhos aqui reunidos podem assim ser encarados como uma pausa para balanço, no turbilhão cada vez maior do que se convencionou chamar de “actualidade.” Se o novo mundo globalizado pelas relações comerciais, as migrações, as derivas ideológicas, as alterações climáticas, o turismo, as redes sociais, os movimentos de consciência social e os ciclos noticiosos, parece cada vez menos sob o nosso controlo, pode-se mesmo assim argumentar que há sempre algo que já vimos antes.

Se calhar os tempos sempre foram atribulados, mesmo que os momentos aqui retratados pareçam únicos. E talvez daqui a muito tempo quem olhar para estes desenhos ainda sinta o que fiz a fazê-los, uma leve sensação de “déjà vu.”

Informação adicional

Ano de Edição

2016

Autor

André Carrilho

Formato

42×59.4 cm

Técnica

serigrafia impressa a duas e três cores por Nuno Bettencourt na oficina de serigrafia do Atelier Arte e Expressão.

Tiragem

edição de 10 Exemplares numerados, assinados e autenticados pelo autor André Carrilho.

Suporte

Papel Arcoprint Milk PK de 300g