CRISTINA COSTA 16.05.1960 : Porto/Portugal : Em 1977 completa o Curso de Modelação e Design de Moda da Escola Gudi. É logo convidada para orientar, nesta escola, a disciplina de design de moda em colaboração anual com o estilista francês Lionel Moinier da Escola Esmod com sede em Paris e no Japão.

Deixa esta escola quando o CITEX (Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil) lhe pede exclusividade. Esteve ligada à Indústria Têxtil, como estilista, entre 1978 e 1986, responsável por diversas colecções, tornando-se especialista em malhas interiores e exteriores. No ano de 1986, já envolvida no trabalho teatral, no palco e nos figurinos, foi bolseira de um programa promovido pela Comunidade Económica no sector teatral em Turin, Itália. A partir daqui abandona, por opção, a Indústria Têxtil, para se dedicar à criação na área dos figurinos e da cenografia dividindo este tempo com a sua actividade como formadora e orientadora de projectos pedagógicos, entre escola de moda, escola de teatro (ACE) e Universidade sénior (Uatip). Em 1995 conclui a licenciatura em História de arte na FLUP.

Esteve presente em várias conferências nas quais foi oradora, a destacar: Colóquio Internacional “What is our life? A Play of passion” Lugares do Palco, Espaços da Cidade” promovido pela Universidade do Porto/FLUP/ CETUP com a comunicação, da sua autoria: O espaço cénico: lugar de sagração da acção (Junho 2007). Fez, em 2008, na Edição Serralves em Festa, 40h Non Stop, a direcção, intervenção e dramaturgia, em nome da ACE, de Little Tea Opera ou Souvenir de Beijing, no pátio da Avelina. Participa no workshop de Ligthing Design orientado por Ulrike Brandi e promovido pelo Vitra Design Museum em co-produção com o Centro George Pompidou, em Poitiers, França (Agosto 2010) onde apresenta dois trabalhos finais: The curtain e The key. Participa na Residência Artística Almaqam, Marraquexe, Marrocos, na exposição colectiva final, com a obra Blue desert, ali confeccionada (Abril 2013).

LER MAIS

Revisitando a sua carreira como figurinista no teatro, com algumas incursões na cenografia: Nó Cego e Abeliomonstro no Realejo, Jogo do Amor e do Acaso, Pássaro Verde, Noite da Senhora Luciana, Possessos de Amor e Reinegen, nos Comediantes. Henrique IV, As criadas, Para tão Longo Amor e Chá e Simpatia para a Seiva Trupe. O falcão, Belo?, Dorme devagar, Doze nocturnos em teu nome, Tia Dan e Limão, Cinza às Cinzas, para a Assédio. Audição e Depois do ensaio para os Ensemble. Ronda Nocturna, Viajar Perder Países, Otelo, Desejo sob os Ulmeiros e Édipo para o Teatro do Bolhão. Mais recentemente desenhou e construiu os figurinos para o torneio de inauguração do World of Discoveries, as fardas para o restaurante do mesmo museu e os figurinos para promoção e abertura do Palácio do Bolhão. Para cinema fez a direcção plástica dos filmes Corações Periféricos, Saudade e Na mão de Deus. Fez também figurinos para as óperas Carmina Burana, O Cábula, Madama Butterfly e Dido e Eneias.

Como performer participou em algumas actividades marginais: representou o artista plástico Gerardo Burmester no Festival Internacional de Performances no Porto, leitura de poesia chinesa na Biblioteca Municipal de Ovar, intervenções na Feira do livro do Porto e em diversos lançamentos e tertúlias poéticas dinamizadas pela Veia Assanhada.

NO PASSEVITE

ACERVO+LOJA