Os Descuidados de Deus : A Alma não tem Raízes

120.00

5 em stock

Descrição

Estas figuras são os filhos de um deus menor, de um criador incauto e desatento. São a criação preguiçosa de um humano avacalhado na forma e consequentemente na sua beleza.

Como se o criador napeiro, a despachar, cria-se uma maqueta do que somos mas de forma negligente e sem brilho. Como se de toda a maneira chaleira, o produto da sua criação acabasse sempre num tosco do que deveria ser. Estas figuras, indignadas, revoltadas, iradas, agastadas, abespinhadas, incomodadas, maltratadas, ultrajadas, foram à nascença dilapidadas do seu ser. Continuam sem embargo, seres inconformados com as injustiças desta desequilibrada, perversa e desumanizada existência desenhada por Deus sem afia lápis.
O pintor, centra–se na delicada riqueza plástica destas enigmáticas figuras de olhar sábio. Opondo-se à pobreza dos princípios de criação apresentados. Acentua a nobreza do seu olhar, a sua caracterização psicológica, a sua inteligência, os seus dotes e talentos. Dá voz ao seu grito e fixa o seu olhar no profundo olhar destes símios orfãos de si mesmos. Transforma-os em desalinhados tocadores de concertina, contrariando os seus iniciais desígnios.
Estes Descuidados de Deus, que nasceram com uma mão cheia de nada e um futuro vazio de tudo.
A presente exposição fecha o ciclo desta serie que teve dois momentos expositivos. Retratos e Juizo final,momento em que os Descuidados de Deus levam o criador a tribunal.

Informação adicional

Ano de Edição

2018, 2019

Autor

Paulo Robalo

Formato

50X70cm

Técnica

Impressão Fine art, assinada e numerada Papel White Velvet de 270 gr.Celulose e algodão,pigmentos de carbono,tinta ultrachrome K3. resistente à agua e aos raios ultravioleta