IHA UMA [ rua de timor,lisboa ]

CLAUDIA FISCHER : 2021.04.05

IHA UMA [ rua de timor, lisboa ] CLAUDIA FISCHER



ENQUANTO DURAR

“Iha uma” significa em Tétum, na língua oficial de Timor-Leste, em casa. A casa em causa é na Rua de Timor, uma rua curta, íngreme de sentido único situada no Bairro das Colónias, que se encontra em remodelação contínua.
Em 1933, a rua situada entre a Praça do Ultramar e a Rua de Macau designou-se Rua de Timor, nome de uma colónia do Império Colonial Português. Inicialmente foi proposto que a toponímia do bairro homenageasse os colonos.


Iha Uma (Rua de Timor) é uma passagem em transformação onde as imagens escolhidas resultam de uma pesquisa em arquivos e de fotografias captadas durante os últimos anos, suspenso entre o imaginário da lenda de Timor, o crocodilo adormecido e a imagem do morador do século XX, um soldado da 2ª linha, um microcosmo de fragmentos vividos e recentes.


A exposição “Iha Uma [Rua de Timor, Lisboa]” de Claudia Fischer integra-se no projeto PRATA DA CASA.
PRATA DA CASA é um projeto de criação coletivo que visa retratar as gentes e o território de uma parte da cidade de Lisboa (Anjos-Arroios), a partir da relação dos artistas ali residentes com o tecido social e cultural envolvente.
Focado em torno da ideia de comunidade, trata-se de uma reflexão ‘fotográfica’ sobre a história individual de cada um, em relação com a história coletiva e comunitária do seu bairro.


O resultado final deste processo, revelado em exposição (galerias e diversos espaços públicos locais) e em livro, será a radiografia possível a uma paisagem em rápida transformação nos últimos anos.
PRATA DA CASA é um projeto da Associação Número – Arte e Cultura, com a direção artística de José Luís Neto e a participação de Claudia Fischer, Daniel Malhão, Isabel Aboim Inglez, Luciana Fina, Pedro Loureiro, Rui Viana Pereira e da XYZ Books/ A Ilha, parceira do projeto juntamente com a Antecâmara, a Duplex e a Passevite, entre outras estruturas locais. A organização conta com o apoio da República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes, da Câmara Municipal de Lisboa – Fundo de Emergência Social – Cultura e da Junta de Freguesia de Arroios.


+info : CLAUDIA FISCHER